terça-feira, 18 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 18/06



18 DE JUNHO
 UMA IRMANDADE DE LIBERDADE

... se os homens tivessem garantida liberdade absoluta e não fossem obrigados a obedecer a ninguém, eles então voluntariamente se associariam a um interesse comum...

NA OPINIÃO DO BILL, p.50

       Quando eu não vivo mais sob o comando do outro ou do álcool, vivo uma nova liberdade. Quando me liberto do passado e de todo excesso de bagagem que tenho carregado por tanto tempo, eu venho a conhecer a liberdade. Fui introduzido numa vida e numa Irmandade de liberdade. Os Passos são uma maneira “sugerida” de encontrar uma nova vida, não existem ordem nem comandos em A.A. Sou livre para servir pelo desejo e não por decreto. Há o entendimento de que serei beneficiado com o crescimento dos outros membros, e o que aprendo compartilho com o Grupo. O “bem-estar comum” encontra espaço para crescer na sociedade da liberdade pessoal.
______

Meditação do dia:
A forma pela qual a verdade nos torna livres é algo que nós AAs podemos entender muito bem. Ela rompe as cadeias que antes nos prendiam ao álcool. Ela continua a nos libertar dos conflitos e das misérias que fogem à nossa avaliação; ela expulsa o medo e o isolamento.”
 (O Melhor de Bill, p.34)

Daily Reflection
JUNE 18
A FELLOWSHIP OF FREEDOM

. . . if only men were granted absolute liberty, and were compelled to obey no one, they would then voluntarily associate themselves in the common interest
AS BILL SEES IT, p. 50

When I no longer live under the dictates of another or of alcohol, I live in a new freedom. When I release the past and all the excess baggage I have carried for so very long, I come to know freedom. I have been introduced into a life and a fellowship of freedom. The Steps are a "recommended" way of finding a new life, there are no commands or dictates in A.A. I am free to serve from desire rather than decree. There is the understanding that I will benefit from the growth of other members and I take what I learn and bring it back to the group. The "common welfare" finds room to grow in the society of personal freedom.


segunda-feira, 17 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 17/06



17 DE JUNHO
 “BEM DENTRO DE NÓS”

Encontramos a Grande Realidade dentro de nós. Em última análise, somente ali Ele pode ser achado... procurem diligentemente dentro de vocês... Com esta atitude não poderão fracassar. O conhecimento consciente de sua própria crença chegará com segurança.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.77 ou p.84

            Eu estava em profunda solidão, depressão e desespero quando procurei a ajuda de A.A. Quando fui me recuperando e comecei a ver como minha vida estava vazia e em ruínas, comecei a me abrir para a possibilidade curadora que a recuperação oferece através do programa de A.A. Indo às reuniões, permanecendo sóbrio e praticando os Passos, tive a oportunidade de ouvir com atenção crescente as profundezas de minha alma. Todo dia eu esperava, com esperança e gratidão, por esta crença segura e este amor constante pelos quais esperei por muito tempo em minha vida. Neste processo eu encontrei meu Deus, como eu O entendo.
______
 
Meditação do dia:
Acredite mais profundamente: Levante a cabeça para a Luz, ainda que no momento você não possa ver.”
(Na Opinião do Bill, p. 3)
Daily Reflection
JUNE 17
"DEEP DOWN WITHIN US"

We found the Great Reality deep down within us. In the last analysis it is only there that He may be found. . . . search diligently within yourself. . . . With this attitude you cannot fail. The consciousness of your belief is sure to come to you.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 55

It was out of the depths of loneliness, depression and despair that I sought the help of A.A. As I recovered and began to face the emptiness and ruin of my life, I began to open myself to the possibility of the healing that recovery offers through the A.A. program. By coining to meetings, staying sober, and taking the Steps, I had the opportunity to listen with increasing attentiveness to the depths of my soul. Daily I waited, in hope and gratitude, for that sure belief and steadfast love I had longed for in my life. In this process, I met my God, as I understand Him.


domingo, 16 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 16/06



16 DE JUNHO
 MENTE ABERTA

Descobrimos que Deus não impõe condições árduas aos que O buscam. Para nós, o Reino do Espírito é amplo e espaçoso; não é privativo nem vedado aos que o buscam sinceramente. Acreditamos que ele esteja aberto para todos.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 7

    A mente aberta para conceitos de um Poder Superior pode abrir portas para o espírito. Muitas vezes encontro o espírito humano em vários dogmas e fé. Posso ser espiritual quando compartilho de mim mesmo. O compartilhar de mim mesmo me une à raça humana e me traz mais próximo de Deus, como eu O entendo.
______

Meditação do dia:
A desculpa seguinte era: 'Deus sabe muito bem que eu tenho medonhas compulsões. Não consigo simplesmente superar essa. Assim, Ele terá que me libertar'. Finalmente vinha o instante em que eu gritava: 'Isso eu positivamente não farei; nem mesmo tentarei'. É claro que meus conflitos continuavam se acumulando, porque eu simplesmente estava cheio de desculpas e recusas.”
(O Melhor de Bill, p. 42)


Daily Reflection
JUNE 16
OPEN-MINDEDNESS

We have found that God does not make too hard terms with those who seek Him. To us, the realm of spirit is broad, roomy, all inclusive, never exclusive or forbidding to those who earnestly seek. It is open, we believe, to all men.
AS BILL SEES IT, p. 7

Open-mindedness to concepts of a Higher Power can open doors to the spirit. Often I find the human spirit in various dogmas and faiths. I can be spiritual in the sharing of myself. The sharing of self joins me to the human race and brings me closer to God, as I understand Him.


sábado, 15 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 15/06



15 DE JUNHO
 FAZENDO DE A.A. O TEU PODER SUPERIOR

... você poderá, se quiser ... considerar A.A. em si como sua força superior”. Nele se encontra um grande número de pessoas que resolveram seus problemas com o álcool... muitos membros... atravessaram a barreira inicial... sua fé se ampliou e se aprofundou... transformados, chegaram a acreditar num Poder Superior.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.23

            Ninguém era maior que eu, ao menos aos meus olhos, quando eu bebia. Todavia, não podia sorrir para mim no espelho, assim é que cheguei em A.A. onde, com outros, ouvi falar de um Poder Superior. Não podia aceitar o conceito de um Poder Superior, porque acreditava que Deus era cruel e sem amor. Em desespero escolhi uma mesa, uma árvore, depois meu Grupo de A.A. como meu Poder Superior. O tempo passou, minha vida melhorou e comecei a pensar sobre este Poder Superior. Pouco a pouco, com paciência, humildade e muitas perguntas, comecei a acreditar em Deus.
            Agora meu relacionamento com meu Poder Superior me dá força para viver uma vida sóbria e feliz.
______

Meditação do dia:
Na realidade, não costumávamos ter nenhuma concepção racional. Costumávamos nos divertir, ridicularizando cinicamente as crenças e as práticas espirituais, quando poderíamos ter visto que muitas pessoas espiritualizadas, de todas as raças, cores e credos, estavam demonstrando ter um grau de equilíbrio emocional, felicidade e utilidade que deveríamos ter procurado para nós mesmos.”
(Na Opinião do Bill, p.301)


Daily Reflection
JUNE 15
MAKING A.A. YOUR HIGHER POWER

". . . You can . . . make A.A. itself your 'higher power.' Here's a very large group of people who have solved their alcohol problem. . . . many members . . . have crossed the threshold just this way. . . . their faith broadened and deepened. . . . transformed, they came to believe in a Higher Power. . . . "
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, pp. 27-28

No one was greater than I, at least in my eyes, when I was drinking. Nevertheless, I couldn't smile at myself in the mirror, so I came to A.A. where, with others, I heard talk of a Higher Power. I couldn't accept the concept of a Higher Power because I believed God was cruel and unloving. In desperation I chose a table, a tree, then my A.A. group, as my Higher Power. Time passed, my life improved, and I began to wonder about this Higher Power. Gradually, with patience, humility and a lot of questions, I came to believe in God. Now my relationship with my Higher Power gives me the strength to live a happy, sober life.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A: 14/06



14 DE JUNHO
 QUANDO AS COISAS FICAM DIFÍCEIS

É um programa de vida que funciona nos momentos difíceis.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.38 ou p. 45

            Quando vim para A.A., percebi que A.A. funcionava maravilhosamente para me ajudar a ficar sóbrio. Mas poderia funcionar com os problemas reais da vida, não apenas com a bebida? Eu tinha minhas dúvidas. Após estar sóbrio por mais de dois anos, consegui minha resposta. Perdi meu emprego, desenvolvi problemas físicos, meu pai diabético perdeu uma perna e alguém que eu amava me deixou por outro – e tudo isto aconteceu num período de duas semanas. A realidade me golpeou; mas A.A. estava lá para apoiar, confortar e me fortificar. Os princípios que aprendi nos primeiros dias de sobriedade, tornaram-se o esteio de minha vida, pois não somente superei o que aconteceu, como nunca deixei de ser capaz de ajudar os ingressantes. A.A. me ensinou a não ficar dominado, mas, ao invés disto, aceitar e entender a minha vida como queira que se desdobre.
______

Meditação do dia:
O que importa é que estejamos dispostos a crescer espiritualmente. Os princípios apresentados são orientações para o progresso espiritual, em vez de perfeição espiritual.”
(Na Opinião do Bill, p.167)

 Daily Reflection
JUNE 14
WHEN THE GOING GETS ROUGH

It is a design for living that works in rough going.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 15

When I came to A.A., I realized that A.A. worked wonderfully to help keep me sober. But could it work on real life problems, not concerned with drinking? I had my doubts. After being sober for more than two years I got my . I lost my job, developed physical problems, my diabetic father lost a leg, and someone I loved left me for another —and all of this happened during a two-week period. Reality crashed in, yet A.A. was there to support, comfort, and strengthen me. The principles I had learned during my early days of sobriety became a mainstay of my life for not only did I come through, but I never stopped being able to help newcomers. A.A. taught me not to be overwhelmed, but rather to accept and understand my life as it unfolded.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 13/06



13 DE JUNHO
 VIVENDO NOSSAS REPARAÇÕES

Viver durante anos com um alcoólico, pode tornar qualquer esposa ou filho neuróticos. Até certo ponto, a família inteira está doente.”
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 139 ou p. 151

        É muito importante para mim perceber que, como um alcoólico, eu não somente machuquei a mim mesmo, como também todos à minha volta. Fazer reparações à minha família e para as famílias de alcoólicos que ainda sofrem, sempre será importante. Entender a devastação que causei e tentar reparar a destruição, será um esforço para toda a vida. O exemplo de minha sobriedade pode dar aos outros esperança e fé para que se ajudem a si mesmos.
______
 
Meditação do dia:
À medida que as coisas vão piorando o marido se transforma numa criança doente e irresponsável, que precisa ser cuidada e tirada de inúmeras embrulhadas e becos sem saída. (…) Quer a família adote ou não um modo de vida espiritual, o membro alcoólico tem que adotá-lo, se quiser se recuperar.”
(Na Opinião do Bill, p.123)


Daily Reflection
 JUNE 13
LIVING OUR AMENDS

"Years of living with an alcoholic is almost sure to make any wife or child neurotic. The entire family is, to some extent, ill."
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 122

It is important for me to realize that, as an alcoholic, I not only hurt myself, but also those around me. Making amends to my family, and to the families of alcoholics still suffering, will always be important. Understanding the havoc I created and trying to repair the destruction, will be a lifelong endeavor. The example of my sobriety may give others hope, and faith to help themselves.

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 12/06



12 DE JUNHO
FORMANDO UMA VERDADEIRA PARCERIA

      Mas, o maior sofrimento que temos padecido se originam de nossas relações deturpadas com parentes, amigos e a sociedade em geral.
      Temos sido por demais obtusos e teimosos nestas relações. O fato principal que deixamos de reconhecer é a nossa incapacidade total de manter uma verdadeira intimidade com outro ser humano.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.46

            Estas palavras podem ser aplicadas a mim? Eu ainda sou incapaz de formar uma verdadeira parceria com outro ser humano? Que terrível desvantagem seria para mim levar esta minha vida sóbria! Na minha sobriedade meditarei e rezarei, para descobrir como posso me tornar um amigo e companheiro de confiança.
______
 
Meditação do dia:
Poucas pessoas podem afirmar que amam com sinceridade todo mundo. A maioria de nós tem que admitir ter amado apenas alguns outros semelhantes; ter sido indiferente a muitos, e ter nutrido antipatia e até mesmo ódio a muitos outros.”
(Na Opinião do Bill, p.230)


Daily Reflection
JUNE 12
FORMING TRUE PARTNERSHIPS

But it is from our twisted relations with family, friends, and society at large that many of us have suffered the most. We have been especially stupid and stubborn about them. The primary fact that we fail to recognize is our total inability to form a true partnership with another human being.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 53

Can these words apply to me, am I still unable to form atrue partnership with another human being? What a terrible handicap that would be for me to carry into my sober life! In my sobriety I will meditate and pray to discover how I may be a trusted friend and companion.

terça-feira, 11 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 11/06



11 DE JUNHO
 OBRIGAÇÕES FAMILIARES

...Uma vida espiritual que não inclua... obrigações familiares, poderá não ser tão perfeita.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.145 ou p.158

       Posso estar fazendo grandes progressos no programa – praticando-o nas reuniões, no trabalho, nas atividades de serviço – e descobrir que as coisas estão se dilapidando em casa. Contava com as pessoas que amo para me entender, mas elas não podem. Contava com elas para ver e avaliar meu progresso mas, elas não podem – a não ser que eu lhes mostre.
        Ignoro suas necessidades e desejos de ter minha atenção e meu interesse? Quando estou com elas fico irritado ou aborrecido? As minhas reparações são um “desculpem-me” resmungado, ou tomam a forma de paciência e tolerância? Fico pregando tentando reformá-las ou castigá-las? “A vida espiritual não é uma teoria. Nós temos que vivê-la.” (Alcoólicos Anônimos, p. 102 ou p. 111)
______
 
Meditação do dia:
Percebi que tinha vivido muito sozinho, muito afastado de meus semelhantes e muito surdo àquela voz interior. Em vez de me ver como um simples portador que levava a mensagem da experiência, eu estava me considerando como um fundador de A.A.”
(Na Opinião do Bill, p.133)


Daily Reflection
JUNE 11
FAMILY OBLIGATIONS

. . . a spiritual life which does not include . . . family obligations may not be so perfect after all.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 129

I can be doing great in the program—applying it at meetings, at work, and in service activities—and find that things have gone to pieces at home. I expect my loved ones to understand, but they cannot. I expect them to see and value my progress, but they don't—unless I show them. Do I neglect their needs and desires for my attention and concern? When I'm around them, am I irritable or boring? Are my "amends" a mumbled "Sorry," or do they take the form of patience and tolerance? Do I preach to them, trying to reform or "fix" them? Have I ever really cleaned house with them! "The spiritual life is not a theory. We have to live it" (Alcoholics Anonymous, p. 83).

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Aniversário de Alcoólicos Anônimos



10 DE JUNHO – ANIVERSÁRIO DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS
Alcoólicos Anônimos teve o seu início em 1935* em Akron, Ohio, como resultado do encontro de Bill W., um corretor da Bolsa de Nova York, com o Dr. Bob S., médico-cirurgião. Eram ambos alcoólicos considerados irrecuperáveis.
Antes de se conhecerem, os dois tinham tido contato com os grupos de Oxford, uma sociedade composta por pessoas não alcoólicas que procuravam a aplicaçăo de valores espirituais universais ao dia a dia das suas vidas. Bill W. tinha conseguido ficar sóbrio há uns meses como resultado do poder desses valores espirituais e da ajuda do seu velho amigo Ebby T., que pela mesma razão conseguira deixar de beber, e mantinha-se em sobriedade trabalhando com outros alcoólicos. Apesar de não ter conseguido que nenhum desses alcoólicos parasse de beber, ele descobrira que reforçava a sua sobriedade sempre que tentava ajudar outros.
O Dr. Bob, porém, apesar do seu contato com os grupos de Oxford năo conseguia deixar a bebida. Mas, quando travou conhecimento com Bill, tal fato surtiu um efeito imediato: Desta vez, encontrava-se cara a cara com um companheiro alcoólico que conseguira deixar de beber, que lhe explicou que o alcoolismo era uma doença mental, emocional e física. Bill repetiu-lhe o que lhe havia dito o Dr. William D. Silkworth no Hospital Towns de NovaYork, onde estivera várias vezes internado. Apesar de ser médico, o Dr. Bob năo sabia que o alcoolismo era uma doença, mas os argumentos de Bill convenceram-no e rapidamente alcançou a sobriedade, năo voltando mais a beber.
*A data do início da sobriedade do Dr. Bob, 10 de junho , foi adotada pela Irmandade de Alcoólicos Anônimos como o
"Dia Mundial de AA"



Reflexões Diárias de A.A.: 10/06



10 DE JUNHO
 
IMPACIENTE? TENTE LEVITAR

Reagimos mais fortemente às frustrações do que as pessoas normais.

NA OPINIÃO DO BILL, p.111

              Impaciência com as outras pessoas é um dos meus maiores defeitos. Seguir um carro que anda devagar numa avenida que não dá ultrapassagem, ou esperar pela conta num restaurante, me levam à loucura. Antes de dar uma chance a Deus para me acalmar, explodo, e isso é o que chamo ser mais rápido que Deus. Esta experiência repetida várias vezes me deu uma ideia. Pensei que se eu pudesse olhar para estes acontecimentos sob o ponto de vista de Deus, poderia controlar melhor meu comportamento e meus sentimentos. Tentei e quando encontrei outro motorista lento, olhei o outro carro e a mim mesmo. Vi um casal de velhos dirigindo e conversando alegremente sobre os seus netos. Eles eram seguidos por mim, carrancudo e o rosto vermelho – que não tinha hora marcada para encontrar ninguém. Eu parecia tão bobo que caí na realidade e diminui a marcha. Ver as coisas do ponto de vista de Deus pode ser muito relaxante.
______
 
Meditação do dia:

É assim que poderei encontrar e permanecer na Estrada para a Humildade que fica entre o pântano e a terra do outro lado. É portanto permanentemente necessário um inventário constante que possa revelar quando estou saindo do caminho.”
(O Melhor de Bill, p.40)

Daily Reflection
JUNE 10
IMPATIENT? TRY LEVITATING

We reacted more strongly to frustrations than normal people.
AS BILL SEES IT, p. I l l

Impatience with other people is one of my principal failings. Following a slow car in a no-passing lane, or waiting in a restaurant for the check, drives me to distraction. Before I give God a chance to slow me down, I
explode, and that's what I call being quicker than God. That repeated experience gave me an idea. I thought if I could look down on these events from God's point of view, I might better control my feelings and behavior. I tried it and when I encountered the next slow driver, I levitated and looked down on the other car and upon myself. I saw an elderly couple driving along, happily chatting about their grandchildren. They were followed by me—bug-eyed and red of face—who had no time schedule to meet anyway. I looked só silly that I dropped back into reality and slowed down. Seeing things from God's angle of vision can be very relaxing.

domingo, 9 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A..: 09/06



9 DE JUNHO
 VIVER NO PRESENTE

Primeiro, tentamos viver no presente só para não beber, – e vemos que funciona. E depois que essa ideia se torna parte de nosso modo de pensar, verificamos que viver a vida em segmentos de 24 horas é uma forma eficaz e agradável de lidar com outros assuntos também.

VIVER SÓBRIO, p.18
  “Um dia de cada vez.” Para o ingressante este e outros lemas de A.A. podem parecer ridículos. As senhas da Irmandade de A.A. podem se tornar linhas de vida, nos momentos de tensão. Cada dia pode ser como uma rosa desabrochando de acordo com o plano de um Poder Superior a mim mesmo. Meu programa deve ser plantado no local certo, onde ele precisará ser preparado, alimentado e protegido da doença. Meu plantio exige paciência e minha percepção de que algumas flores serão mais perfeitas que outras. Cada estágio das pétalas se abrindo pode trazer maravilhas e deleite, se eu não interferir ou deixar minhas expectativas anularem minha aceitação – e estas coisas trazem serenidade.
______
 
Meditação do dia:
Finalmente nossos inventários acabam por se tornar uma necessidade de vida diária, e não uma coisa incomum ou excepcional.”
(Na Opinião do Bill, p. 233)


Daily Reflection
JUNE 9
LIVING IN THE NOW

First, we try living in the now just in order to stay sober— and it works Once the idea has become a part of our thinking we find that living life in 24-hour segments is an effective and satisfying way to handle many other matters as well
LIVING SOBER, p. 7

"One Day At A Time." To a newcomer this and other oneliners of A.A. may seem ridiculous. The passwords of the A.A. Fellowship can become lifelines in moments of stress. Each day can be like a rose unfurling according to the plan of a Power greater than myself. My program should be planted in the right location, just as it will need to be groomed, nourished, and protected from disease. My planting will require patience, and my realizing that some flowers will be more perfect than others. Each stage of the petals' unfolding can bring wonder and delight if I do not interfere or let my expectations override my acceptance—and this brings serenity.

sábado, 8 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 08/06



8 DE JUNHO
 ABRINDO-SE PARA MUDAR

A autoanálise é o meio pelo qual trazemos um nova visão, ação e graça para influir no lado escuro e negativo do nosso ser. Com ela vem o desenvolvimento daquele tipo de humildade, que nos permite receber a ajuda de Deus... descobrimos que pouco a pouco vamos nos despojando da vida antiga – a vida que não funcionou – por uma nova vida que pode e funciona sob quaisquer condições.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.10 e 8


 Foi me dado um indulto diário, que depende de minha condição espiritual, desde que procure o progresso e não a perfeição. Para me tornar pronto para mudar, eu pratico a boa vontade, abrindo-me às possibilidades de mudança.
          Se percebo que existem defeitos que atrapalham minha utilidade em A.A. e para os outros, me preparo, meditando e recebendo orientação. “Alguns de nós tentamos nos apegar às nossas velhas ideias e o resultado foi nulo, até que nos rendemos completamente.” (Alcoólicos Anônimos, p. 79 ou 87)
            Para soltar-me e deixar Deus agir, preciso somente entregar meus velhos costumes para Ele; não mais lutar nem tentar controlar, mas simplesmente acreditar que com a ajuda de Deus estou mudando, e assim afirmando me torno pronto. Esvazio-me para me encher de percebimento, luz e amor, e estou preparado para encarar cada dia com esperança.
______
 
Meditação do dia:
Na maioria dos casos, descobrimos que nossa autoestima, nosso dinheiro, nossas ambições ou nossos relacionamentos pessoais (inclusive sexo) estavam ofendidos ou ameaçados. Portanto, estávamos irritados. Estávamos furiosos.”
(Alcoólicos Anônimos, p.85 ou p.94)


Daily Reflection
JUNE 8
OPENING UP TO CHANGE

Self-searching is the means by which we bring new vision, action, and grace to bear upon the dark and negative side of our natures With it comes the development of that kind of humility that makes it possible for us to receive God's help. . . . we find that bit by bit we can discard the old life—the one that did not work—for a new life that can and does work under any conditions whatever.
AS BILL SEES IT, pp. 10, 8

I have been given a daily reprieve contingent upon my spiritual condition, provided I seek progress, not perfection. To become ready for change, I practice willingness, opening myself to possibilities of change. If I realize there are defects that hinder my usefulness in A.A. and toward others, I become ready by meditating and receiving direction. "Some of us have tried to hold on to our old ideas and the result was nil until we let go absolutely" (Alcoholics Anonymous, p. 58). To let go and let God, I need only surrender my old ways to Him; I no longer fight nor do I try to control, but simply believe that, with God's help, I am changed and affirming this belief makes me ready. I empty myself to be full of awareness, light, and love, and I am ready to face each day with hope.

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 07/06




7 DE JUNHO
 ESPERANÇA A LONGO PRAZO

Visto que a maioria de nós nasceu com abundância de desejos naturais, não é de se admirar que, frequentemente deixemos que excedam de seu propósito. Quando nos impelem cegamente, ou quando, obstinadamente, exigimos que nos deem mais satisfações e prazeres do que é possível ou do que merecemos, estamos no ponto em que nos afastamos do grau de perfeição que Deus deseja para nós aqui na terra. Esta é a medida de nossos defeitos de caráter ou, se preferirmos, de nossos pecados.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.57

            Aqui é onde nasce a esperança a longo prazo e se ganha a perspectiva da natureza de minha doença e do caminho de minha recuperação. A beleza de A.A. repousa em saber que minha vida, com a ajuda de Deus, vai melhorar. A caminhada em A.A. torna-se mais rica, o entendimento se transforma em verdade, os sonhos tornam-se realidades – e o hoje é para sempre.
______
 
Meditação do dia:
Mais adiante passamos a aceitar muitas coisas que nos pareciam inteiramente fora de alcance. Isso era crescimento, mas para crescer tínhamos que começar de algum modo. Assim, no princípio, usamos nossas próprias concepções de Deus, ainda que limitadas.”
(Na Opinião do Bill, p.219)


Daily Reflection
JUNE 7
LONG-TERM HOPE

Since most of us are born with an abundance of natural desires, it isn't strange that we often let these far exceed their intended purpose. When they drive us blindly, or we willfully demand that they supply us with more satisfactions or pleasures than are possible or due us, that is the point at which we depart from the degree of perfection that God wishes for us here on earth. That is the measure of our character defects, or, if you wish, of our sins.
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 65

This is where long-term hope is born and perspective is gained, both of the nature of my illness and the path of my recovery. The beauty of A.A. lies in knowing that my life, with God's help, will improve. The A.A. journey becomes richer, the understanding becomes truth, the dreams become realities—and today becomes forever.
     As I step into the A.A. light, my heart fills with the presence of God.

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 06/06



6 DE JUNHO
 TUDO QUE FAZEMOS É TENTAR

Será que Ele pode levá-las embora, todas elas?
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.96 ou p. 105

       Ao fazer o Sexto Passo, lembrei que estou lutando por alcançar um “progresso espiritual”.  Alguns de meus defeitos de caráter ficarão comigo pelo resto de minha vida, mas muitos foram suavizados ou eliminados. Tudo que o Sexto Passo pede de mim é que me torne disposto a nomear meus defeitos, reconhecer que são meus e estar disposto a me livrar daqueles que puder, só por hoje. Quando cresço no programa, muitos dos meus defeitos tornam-se mais censuráveis para mim que anteriormente, portanto, preciso repetir o Sexto Passo para que possa ser mais feliz comigo mesmo e manter minha sobriedade.
______
Meditação do dia:
Cada um de nós gostaria de viver em paz consigo mesmo e com seus semelhantes. Gostaríamos de ser assegurados de que a graça de Deus pode fazer por nós aquilo que não podemos.”
(Na Opinião do Bill, p.131)


Daily Reflection
JUNE 6
ALL WE DO IS TRY

Can He now take them all—every one?
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 76

In doing Step Six it helped me a lot to remember that I am striving for "spiritual progress." Some of my character defects may be with me for the rest of my life, but most have been toned down or eliminated. All that Step Six asks of me is to become willing to name my defects, claim them as my own, and be willing to discard the ones I can, just for today. As I grow in the program, many of my defects become more objectionable to me than previously and, therefore, I need to repeat Step Six so that I can become happier with myself and maintain my serenity.


quarta-feira, 5 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 05/06



5 DE JUNHO
 INTEIRAMENTE PRONTO?

Este é o Passo que separa os adultos dos adolescentes...... a diferença entre os adultos e os adolescentesé igual à que existe entre a luta por um objetivo qualquer de nossa escolha e a meta perfeita que é Deus... Sugere-se que devemos estar inteiramente dispostos a procurar a perfeição... No momento em que dizemos: não, nunca, nossa mente se fecha para a graça de Deus... Este é o ponto exato em que teremos de abandonar nossos objetivos limitados e avançar em direção  à vontade de Deus para conosco.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.55, 60 e 61

            Estou inteiramente pronto a deixar que Deus remova estes defeitos de caráter? Reconheço que não tenho condições de salvar a mim mesmo? Vim a crer que não posso. Se sou incapaz, se minhas melhores intenções dão errado, se meus desejos têm uma motivação egoísta e se meu conhecimento e minha vontade são limitados – então estou pronto a admitir a vontade de Deus em minha vida.
______
 
Meditação do dia:
Se você chegou à conclusão de que quer o que nós temos e deseja fazer todo o possível para obtê-lo, então está pronto para dar alguns passos.”
(Alcoólicos Anônimos, p.79 ou 87)


Daily Reflection
JUNE 5
ENTIRELY READY?

"This is the Step that separates the men from the boys " . . . the difference between "the boys and the men" is the difference between striving for a self-determined objective and for the perfect objective which is of God. . . . It is suggested that we ought to become entirely willing to aim toward perfection. . . . The moment we say, "No, never!" our minds close against the grace of God. . . . This is the exact point at which we abandon limited objectives, and move toward God's will for us
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, pp. 63, 68, 69

Am I entirely ready to have God remove these defects of character? Do I know at long last that I cannot save myself? I have come to believe that I cannot. If I am unable, if my best intentions go wrong, if my desires are selfishly motivated and if my knowledge and will are limited—then I am ready to embrace God's will for my life.

terça-feira, 4 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 04/06



4 DE JUNHO
  
LIBERTANDO-NOS DE NOSSOS VELHOS EGOS

  Lendo cuidadosamente as primeiras cinco proposições, perguntamo-nos se omitimos alguma coisa, pois estamos construindo um arco pelo qual passaremos finalmente como homens livres...
  Estamos agora prontos para que Deus retire de nós todas as coisas que já admitimos serem censuráveis?

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.96 ou p. 104 e 105

       O Sexto Passo é o último de “preparação”. Embora já tenha usado a oração extensivamente, ainda não fiz nenhum pedido formal ao meu Poder Superior nos primeiros Seis Passos. Identifiquei meu problema, vim a acreditar que havia uma solução, tomei a decisão de procurar esta solução, e “limpei a casa”. Agora me pergunto: estou disposto a viver uma vida de sobriedade, de mudança, de me libertar do meu velho ego? Preciso determinar se estou realmente pronto para mudar. Revejo o que tenho feito e estou disposto a que Deus remova todos os meus defeitos de caráter; para que, no próximo Passo, eu diga ao meu Criador que estou disposto e peça ajuda. “Se ainda nos apegarmos a algo que não queremos soltar, peçamos a Deus que nos dê a vontade de fazê-lo.” (Alcoólicos Anônimos, p. 96 ou  p. 105)
______
 
Meditação do dia:
As mudanças que estão prestes a acontecer conosco exigem esforço cooperativo. Deus dá a direção e planta o desejo. Nós contribuímos com a disposição de tomar a atitude necessária.”
(Doze Passos para os Cristãos – jornada espiritual com amor-exigente, p.101)


Daily Reflection
JUNE 4
LETTING GO OF OUR OLD SELVES

Carefully reading the first five proposals we ask if we have omitted anything for we are building an arch through which we shall walk a free man at last. . . . Are we now ready to let God remove from us all the things which we have admitted are objectionable?
ALCOHOLICS ANONYMOUS, pp. 75, 76

The Sixth Step is the last "preparation" Step. Although I have already used prayer extensively, I have made no formal request of my Higher Power in the first Six Steps. I have identified my problem, come to believe that there is a solution, made a decision to seek this solution, and have "cleaned house." I now ask: Am I willing to live a life of sobriety, of change, to let go of my old self? I must determine if I am truly ready to change. I review what I have done and become willing for God to remove all my defects of character; for in the next Step, I will tell my Creator I am willing and will ask for help. If I have been thorough in the preparation of my foundation and feel that I am willing to change, I am then ready to continue with the next Step. "If we still cling to something we will not let go, we ask God to help us be willing." (Alcoholics Anonymous, p. 76)

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 03/06



3 DE JUNHO
NUMA ASA E NUMA ORAÇÃO

... olhamos então para o Sexto Passo. Frisamos que a boa vontade é indispensável.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.96 ou p.104
           
O Quarto e Quinto Passos são difíceis, mas de grande valor. Agora estava parado no Sexto Passo e, em desespero, peguei o Livro Grande e li esta passagem. Estava fora, rezando por vontade própria, quando levantei meus olhos e vi um grande pássaro subindo para o céu. Eu o observei subitamente entregar-se às poderosas correntes de ar das montanhas. Levado pelo vento, mergulhando e elevando-se, o pássaro fez coisas aparentemente impossíveis. Foi um exemplo inspirador de uma criatura “soltando-se” para um poder maior que ela própria. Percebi que se o pássaro “retomasse seus controles” e tentasse voar com menos confiança, apenas com sua força, poderia estragar o seu aparente voo livre. Esta percepção me deu disposição para rezar a Oração do Sétimo Passo.
Nem sempre é fácil conhecer a vontade de Deus. Devo procurar e estar pronto para aproveitar as correntes de ar, pois é aí que a oração e a meditação ajudam. Porque por mim mesmo eu não sou nada, peço a Deus que me conceda o conhecimento de Sua vontade e força e coragem para transmiti-la — hoje.
______
Meditação do dia:
Você começará a se aproximar do paraíso no momento em que alcançar a velocidade perfeita. E isso não é voar a mil e quinhentos quilômetros por hora, nem a um milhão e quinhentos mil, nem voar à velocidade da luz. Porque nenhum número é um limite, e a perfeição não tem limites. A velocidade perfeita, meu filho, é estar ali.”
(Fernão Capelo Gaivota – Richard Bach)


Daily Reflection
JUNE 3
ON A WING AND A PRAYER

. . . we then look at Step Six. We have emphasized willingness as being indispensable.
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 76

Steps Four and Five were difficult, but worthwhile. Now I was stuck on Step Six and, in despair, I picked up the Big Book and read this passage. I was outside, praying for willingness, when I raised my eyes and saw a huge bird rising in the sky. I watched it suddenly give itself up to the powerful air currents of the mountains. Swept along, swooping and soaring, the bird did things seemingly impossible for mortal birds to do. It was an inspiring example of a fellow creature "letting go" to a power greater than itself. I realized that if the bird "took back his will" and tried to fly with less trust, on its power alone, it would spoil its apparent free flight. That insight granted me the willingness to pray the Seventh Step prayer.
     It's not easy to know God's will in each circumstance. I must search out and be ready for the currents, and that's where prayer and meditation help! Because I am, of myself, nothing, I ask God to grant me the knowledge of His will and the power and courage to carry it out—today.

domingo, 2 de junho de 2019

Reflexões Diárias de A.A.: 02/06




2 DE JUNHO
 O CAMINHO ASCENDENTE

Eis os Passos que demos...
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.80 ou p.88

   Estas são as palavras introdutórias aos Doze Passos. Na sua simplicidade direta elas deixam de lado todas as considerações psicológicas e filosóficas sobre a virtude dos Passos. Eles descrevem o que fiz: pratiquei os Passos e o resultado foi a sobriedade. Estas palavras não implicam em que eu deva caminhar pela estrada trilhada pelos que vieram antes. Ao invés disso mostram que existe uma maneira de ficar sóbrio, e que é um caminho que eu preciso encontrar. É um caminho novo que leva para a luz infinita no topo da montanha. Os Passos me aconselham sobre os apoios que são seguros e os abismos a evitar. Eles me fornecem as ferramentas de que preciso durante grande parte da jornada solitária de minha alma. Quando falo desta jornada, compartilho minha experiência, força e esperança com os outros.
______
Meditação do dia:
Os Doze Passos de A.A. consistem em um grupo de princípios, espirituais em sua natureza que, se praticados como um modo de vida, podem expulsar a obsessão pela bebida e permitir que o sofredor se torne íntegro, feliz e útil.”
(Os Doze Passos e as Doze Tradições, p.11)


Daily Reflection
JUNE 2
THE UPWARD PATH

Here are the steps we took. . . .
ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 59

These are the words that lead into the Twelve Steps. In their direct simplicity they sweep aside all psychological and philosophical considerations about the lightness of the Steps. They describe what I did: I took the Steps and sobriety was the result. These words do not imply that I should walk the well-trodden path of those who went before, but rather that there is a way for me to become sober and that it is a way I shall have to find. It is a new path, one that leads to infinite light at the top of the mountain. The Steps advise me about the footholds that are safe and about chasms to avoid. They provide me with the tools I need during the many parts of the solitary journey of my soul. When I speak of this journey, I share my experience, strength and hope with others.