terça-feira, 31 de março de 2015

Preparação para o Quarto Passo


PREPARAÇÃO PARA O QUARTO PASSO

Nós nos preparamos para o Quarto Passo reconhecendo o fato de que, até certo ponto, a negação tem sido operante em nossa vida. Pedimos a Deus a coragem para encarar essas áreas que têm sido protegidas pela negação. E nos preparamos para o Quarto Passo planejando nutrir-nos durante e após o processo de inventário.

ORAÇÃO PARA O QUARTO PASSO

Poder Superior.
Fui eu que fiz uma confusão de minha vida. Fiz, mas não consigo desfazer. Os erros são meus e começarei um minucioso e destemido inventário. Anotarei meus desacertos, mas também incluirei o que é bom. Rogo-Te a força para completar a tarefa.

Reflexões Diárias de A.A.: 31/03


31 DE MARÇO
 NINGUÉM ME NEGOU AMOR

No calendário de A.A. corria o ano dois... Um estranho apareceu num desses Grupos... Em pouco tempo provou que seu caso era desesperador e que, acima de tudo, queria ficar bom...(ele disse) “Sou vítima de uma outra dependência ainda mais estigmatizante que o alcoolismo e o senhor poderá não me querer entre os seus.”
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.127 e 128

     Vim para vocês como uma esposa, uma mãe, uma mulher que tinha abandonado seu marido, seus filhos e sua família. Eu era uma bêbada, a cabeça cheia de pílulas, uma ninguém. Mesmo assim não foi me negado amor, carinho e o senso de pertencer.
    Hoje, pela graça de Deus, de uma boa madrinha e de um Grupo base, posso dizer que – graças a vocês de Alcoólicos Anônimos – sou uma esposa, uma mãe, uma avó e uma mulher. Sóbria, livre das pílulas. Responsável. Sem um Poder Superior, que encontrei na Irmandade, minha vida não teria significado. Estou plena de gratidão por ser membro de Alcoólicos Anônimos.
______
Meditação do dia:
Cresce então a certeza de que tenho um lugar nessa Rodovia, de que posso avançar ao longo dela com uma paz e uma confiança cada vez mais profundas. Percebo mais uma vez que Deus é bom, que não preciso temer o mal. Esta é uma enorme dádiva, essa percepção de que há um destino para mim.”
(O Melhor de Bill, p.46)


Daily Reflection
MARCH 31

NO ONE DENIED ME LOVE

On the A. A. calendar it was Year Two. . . . A newcomer appeared at one of these groups. . . . He soon proved that his was a desperate case, and that above all he wanted to get well . . . [He said], "Since I am the victim of another addiction even worse stigmatized than alcoholism, you may not want me among you."

TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, pp. 141-42

I came to you—a wife, mother, woman who had walked out on her husband, children, family. I was a drunk, a pill-head, a nothing. Yet no one denied me love, caring, a sense of belonging. Today, by God's grace and the love of a good sponsor and a home group, I can say that—through you in Alcoholics Anonymous—I am a wife, a mother, a grandmother and a woman. Sober. Free of pills. Responsible.
Without a Higher Power I found in the Fellowship, my life would be meaningless. I am full of gratitude to be a member of good standing in Alcoholics Anonymous.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 30/03


 30 DE MARÇO
 NOSSA CONSCIÊNCIA DE GRUPO

 “... o bom é, às vezes, inimigo do melhor.
 A.A. ATINGE A MAIORIDADE, p.92 ou p.89

Penso que estas palavras se aplicam a todos os aspectos dos Três Legados de A.A.: Recuperação, Unidade e Serviço! Quero-os gravados em minha mente e em minha vida quando passar pelo caminho do Destino Feliz”.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 11, §56

     Estas palavras, frequentemente pronunciadas pelo cofundador Bill W., foram apropriadamente ditas a ele como resultado da consciência de Grupo. Elas trouxeram para Bill W. a essência de nossa Segunda Tradição: “Nossos líderes são apenas servidores de confiança, eles não governam.”
     Como Bill W. uma vez foi levado a se lembrar, penso que em nossas discussões no Grupo nunca deveríamos ficar no “bom”, mas esforçar-nos para alcançar “o melhor”. Esses esforços mútuos são outro exemplo de um Deus amoroso, como nós O entendemos, expressando-Se através da consciência de Grupo. Experiências como estas me mantêm na estrada certa para a recuperação. Aprendo a combinar iniciativa com humildade, responsabilidade com agradecimento e, assim, a saborear as alegrias de viver meu programa de vinte e quatro horas.
______
 
Meditação do dia:
A verdadeira questão é se podemos aprender de nossas experiências algo que sirva de base para podermos crescer e para ajudar outros a crescerem à imagem e semelhança de Deus.”
(Na Opinião do Bill, p.159)


Daily Reflection
MARCH 30

OUR GROUP CONSCIENCE

". . . sometimes the good is the enemy of the best"

ALCOHOLICS ANONYMOUS COMES OF AGE P. 101

I think these words apply to every area of A.A.'s Three Legacies: Recovery, Unity and Service! I want them etched in my mind and life as I "trudge the Road of Happy Destiny" (Alcoholics Anonymous, p. 164). These words, often spoken by co-founder Bill W., were appropriately said to him as the result of the group's conscience. It brought home to Bill W. the essence of our Second Tradition: "Our leaders are but trusted servants; they do not govern."
   Just as Bill W. was originally urged to remember, I think that in our group discussions we should never settle for the "good," but always strive to attain the "best." These common strivings are yet another example of a loving God, as we understand Him, expressing Himself through the group conscience. Experiences such as these help me to stay on the proper path of recovery. I learn to combine initiative with humility, responsibility with thankfulness, and thus relish the joys of living my twenty-four hour program.

domingo, 29 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 29/03


29 DE MARÇO
 SERVIDORES DE CONFIANÇA

 Eles não passam de servidores. A eles cabe o privilégio, por vezes ingrato, de realizar as tarefas do Grupo.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.120

      Em seu livro “Zorba, o Grego”, Nikos Kazantzakis descreve um encontro entre seu personagem principal e um velho ocupado no trabalho de plantar uma árvore: “O que você está fazendo?” Zorba pergunta. O velho responde: “Você pode ver muito bem o que eu estou fazendo, meu filho. Estou plantando uma árvore.” “Mas, por que plantar uma árvore?” Zorba insistiu – “se você não vai poder vê-la carregada de frutos?” – E o velho respondeu: “Meu filho, eu vivo como se nunca fosse morrer.” – A resposta levou Zorba a dar um leve sorriso e, indo embora, exclamou com uma ponta de ironia: “Que estranho! Eu vivo como se fosse morrer amanhã!”
     Como membro de Alcoólicos Anônimos descobri que o Terceiro Legado é um solo fértil para plantar a árvore de minha sobriedade. Os frutos que colho são maravilhosos: paz, segurança, entendimento e vinte e quatro horas de eterna satisfação; também, com a mente saudável para ouvir a voz de minha consciência quando, em silêncio, me diz sutilmente: “Você deve saber largar um encargo.
Há outros que precisam plantar e colher.”
______
 
Meditação do dia:
À medida que progredíamos espiritualmente, ficava claro que, se esperávamos algum dia nos sentir emocionalmente seguros, teríamos que colocar nossa vida na base do dar e receber.”
(Na Opinião do Bill, p.220)


Daily Reflection
MARCH 29

TRUSTED SERVANTS

They are servants. Theirs is the sometimes thankless privilege of doing the group's chores.

TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 134

In Zorba the Greek, Nikos Kazantzakis describes an encounter between his principal character and an old man busily at work planting a tree. "What is it you are doing?" Zorba asks. The old man replies: "You can see very well what I'm doing, my son, I'm planting a tree." "But why plant a tree," Zorba asks, "if you won't be able to see it bear fruit?" And the old man answers: "I, my son, live as though I were never going to die." The response brings a faint smile to Zorba's lips and, as he walks away, he exclaims with a note of irony: "How strange—I live as though I were going to die tomorrow!"
   As a member of Alcoholics Anonymous, I have found that the Third Legacy is a fertile soil in which to plant the tree of my sobriety. The fruits I harvest are wonderful: peace, security, understanding and twenty-four hours of eternal fulfillment; and with the soundness of mind to listen to the voice of my conscience when, in silence, it gently speaks to me, saying: You must let go in service. There are others who must plant and harvest.

sábado, 28 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 28/03


28 DE MARÇO
 IGUALDADE 
 
 Devem fazer parte de nosso quadro de membros todos os que sofrerem  de alcoolismo. Não podemos, portanto, recusar pessoa alguma que deseja se recuperar. Tampouco o ingresso em A.A. deve jamais depender de dinheiro ou formalidade. Quando qualquer, dois ou três alcoólicos se reúnem para manterem-se sóbrios, pode se chamar um Grupo de A.A. contanto que como Grupo, não estejam filiados a outra entidade.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, Apêndice I, As Doze Tradições, 3.

     Antes de A.A., muitas vezes eu sentia que não “combinava” com as outras pessoas à minha volta. Normalmente “Eles” tinham mais ou menos dinheiro do que eu: meus pontos de vista não estavam de acordo com os “deles”. A quantidade de preconceitos que tinha experimentado na sociedade somente serviam para demonstrar-me  a falsidade de algumas pessoas “hipócritas”. Após ingressar em A.A. descobri a maneira de vida que estava procurando. Em A.A. nenhum membro é melhor do que o outro, somos apenas alcoólicos tentando recuperar-nos do alcoolismo.
______
 
Meditação do dia:
A unidade de Alcoólicos Anônimos é a qualidade mais preciosa que nossa Sociedade tem. Nossas vidas e as vidas dos que estão para chegar dependem diretamente dela. Sem unidade, o coração de Alcoólicos Anônimos deixaria de bater; nossas artérias mundiais não mais levariam a inspiradora graça de Deus.”
(Na Opinião do Bill, p.125)


Daily Reflection
MARCH 28

EQUALITY

Our membership ought to include all who suffer from alcoholism Hence we may refuse none who wish to recover. Nor ought A.A. membership ever depend upon money or conformity. Any two or three alcoholics gathered together for sobriety may call themselves an A.A. group, provided that, as a group, they have no other affiliation.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 565

Prior to A.A., I often felt that I didn't "fit in" with the people around me. Usually "they" had more/ less money than I did, and my points of view didn't jibe with "theirs." The amount of prejudice I had experienced in society only proved to me just how phony some self-righteous people were. After joining A. A., I found the way of life I had been searching for. In A.A. no member is better than any other member; we're just alcoholics trying to recover from alcoholism.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 27/03


27 DE MARÇO
 LIBERDADES DE A.A.

 Confiamos que já sabemos quais são verdadeiramente nossas liberdades; que nenhuma geração futura de AAs se sentirá compelida a limitá-las. Nossas liberdades em A.A. constituem o terreno em que pode crescer o autêntico amor...
 A LINGUAGEM DO CORAÇÃO, p.303 ou p.356

            Eu ansiava pela liberdade. Primeiro, liberdade para beber; mais tarde, liberdade da bebida. O programa de recuperação descansa sobre uma base de livre escolha. Não há mandatos, leis ou mandamentos. O programa espiritual de A.A. como descrito nos Doze Passos e pelo qual me são oferecidas as maiores liberdades, é somente sugerido. Posso usá-lo ou deixá-lo. Apadrinhamento é oferecido, não sou forçado, e eu venho e vou como quiser. São estas e outras liberdades que me permitiram recuperar a dignidade que estava comprimida pela carga de bebida, e que é tão necessária para apoiar uma sobriedade duradoura.
______
 
Meditação do dia:
Começamos a obedecer porque cremos devemos obedecer. Ainda que nos seja penoso, nos damos conta de que é apropriado fazê-lo. À medida que vamos obtendo resultados, percebemos que vamos nos desenvolvendo. Esta é uma satisfação bem merecida.”
(A Linguagem do Coração, p.354)


Daily Reflection
MARCH 27

A.A.'s FREEDOMS

We trust that we already know what our several freedoms truly are; that no future generation of AAs will ever feel compelled to limit them. Our AA freedoms create the soil in which genuine love can grow. . . .

LANGUAGE OF THE HEART, p. 303

I craved freedom. First, freedom to drink; later, freedom from drink. The A.A. program of recovery rests on a foundation of free choice. There are no mandates, laws or commandments. A.A.'s spiritual program, as outlined in the Twelve Steps, and by which I am offered even greater freedoms, is only suggested. I can take it or leave it. Sponsorship is offered, not forced, and I come and go as I will. It is these and other freedoms that allow me to recapture the dignity that was crushed by the burden of drink, and which is so dearly needed to support an enduring sobriety.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 26/03


26 DE MARÇO
 A AULA NUNCA TERMINA
 
 Entregue-se a Deus na forma que você O concebe. Admita suas falhas a Ele e aos seus amigos. Desfaça-se das ruínas do seu passado. Dê em abundância daquilo que você encontrar e una-se a nós. Estaremos com você na Irmandade do Espírito e, com certeza também se encontrará com alguns de nós na sua passagem pelo Caminho do Destino Feliz. Que Deus o abençoe e o guarde até lá.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 11, § 56

     Estas palavras dão um nó na minha garganta cada vez que as leio. No começo era porque eu sentia, “Oh não! A aula está terminando. Agora estou por minha conta. Isto nunca será novo outra vez.” Hoje sinto profunda afeição por nossos pioneiros de A.A. quando leio esta passagem, percebendo que ela soma tudo em que acredito e pelo qual luto e que – com a graça de Deus – a aula nunca termina, nunca estou por minha conta, e cada dia é uma nova esperança.
______

Meditação do dia:
Seu próprio caráter pode ainda não estar bem formado, mas de alguma forma sabe que Deus permitiu que ele tivesse um vigoroso começo, e sente que está à beira de novos mistérios, alegrias e experiências com as quais nunca havia sonhado.”
(Na Opinião do Bill, p.298)


Daily Reflection
MARCH 26

THE TEACHING IS NEVER OVER

Abandon yourself to God as you understand God. Admit your faults to Him and to your fellows. Clear away the wreckage of your past Give freely of what you find and join us. We shall be with you in the Fellowship of the Spirit, and you will surely meet some of us as you trudge the Road of Happy Destiny. May God bless you and keep you—until then.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 164

These words put a lump in my throat each time I read them. In the beginning it was because I felt, "Oh no! The teaching is over. Now I'm on my own. It will never be this new again." Today I feel deep affection for our A.A. pioneers when I read this passage, realizing that it sums up all of what I believe in, and strive for, and that—with God's blessing—the teaching is never over, I'm never on my own, and every day is brand new.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 25/03


25 DE MARÇO
 UM CORAÇÃO PLENO DE GRATIDÃO
Tento convencer-me de que um coração pleno e agradecido não pode abrigar nenhum orgulho. Transbordando de gratidão, o coração por certo só pode dar amor, a mais bela emoção que jamais poderemos sentir.
 NA OPINIÃO DO BILL, p.37

     Acredito que nós em Alcoólicos Anônimos somos afortunados porque somos constantemente lembrados da necessidade de ser gratos, e de como é importante a gratidão para a nossa sobriedade. Sou realmente agradecido pela sobriedade que Deus me deu através do programa de A.A. e estou feliz porque posso dar de volta o que me foi dado livremente. Sou grato não somente pela sobriedade, mas pela qualidade de vida que minha sobriedade proporciona.
    Deus tem sido benevolente o bastante para dar-me dias sóbrios e uma vida abençoada com paz e contentamento, bem como a habilidade de dar e receber amor, e a oportunidade de servir aos outros – em nossa Irmandade, na minha família e na minha comunidade. Por tudo isto, eu tenho “um coração pleno de gratidão.”
______
Meditação do dia:
... a força maior que contribui para a unidade de A.A. é o amor irresistível que temos por nossos companheiros e por nossos princípios.”
(Na Opinião do Bill, p.273)


Daily Reflection
MARCH 25

A FULL AND THANKFUL HEART

I try hard to hold fast to the truth that a full and thankful heart cannot entertain great conceits. When brimming with gratitude, one's heartbeat must surely result in outgoing love, the finest emotion that we can ever know.

AS BILL SEES IT, p. 37

I believe that we in Alcoholics Anonymous are fortunate in that we are constantly reminded of the need to be grateful and of how important gratitude is to our sobriety. I am truly grateful for the sobriety God has given me through the A.A. program and am glad I can give back what was given to me freely. I am grateful not only for sobriety, but for the quality of life my sobriety has brought. God has been gracious enough to give me sober days and a life blessed with peace and contentment, as well as the ability to give and receive love, and the opportunity to serve others—in our Fellowship, my family and my community. For all of this, I have "a full and thankful heart."

terça-feira, 24 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 24/03


24 DE MARÇO
 ATIVO, NÃO PASSIVO
 
  Supõe-se que o homem pensa e age. Ele não foi criado à imagem de Deus para ser um autômato.
 NA OPINIÃO DO BILL, p. 55


     Antes de ingressar em A.A., muitas vezes não pensava, e reagia às pessoas e situações. Quando não reagia, eu atuava de maneira mecânica. Após ingressar em A.A., comecei a procurar uma orientação diária de um Poder Superior a mim mesmo, e a aprender a ouvir essa orientação. Então comecei a tomar decisões e agir, ao invés de reagir a elas. Os resultados têm sido construtivos; não permito mais que os outros tomem decisões por mim e então me critiquem por isto
    Hoje – e todo o dia – com o coração cheio de gratidão e o desejo de que a vontade de Deus seja feita através de mim, minha vida é digna de ser compartilhada, especialmente com meus companheiros alcoólicos! Acima de tudo se não faço uma religião de qualquer coisa, mesmo de A.A., então posso ser um canal aberto para a expressão de Deus.
______
 
Meditação do dia:
A experiência de A.A. Nos ensinou que não podemos viver sozinhos e com problemas que nos pressionam e com os defeitos de caráter que os causam ou agravam.”
(Na Opinião do Bill, p.83)


Daily Reflection
MARCH 24

ACTIVE, NOT PASSIVE

Man is supposed to think, and act He wasn't made in God's image to be an automaton.

AS BILL SEES IT, p. 55

Before I joined A.A., I often did not think, and reacted to people and situations. When not reacting I acted in a mechanical fashion. After joining A. A., I started seeking daily guidance from a Power greater than myself, and learning to listen for that guidance. Then I began to make decisions and act on them, rather than react to them. The results have been constructive; I no longer allow others to make decisions for me and then criticize me for it.
    Today—and every day—with a heart full of gratitude, and a desire for God's will to be done through me, my life is worth sharing, especially with my fellow alcoholics! Above all, if I do not make a religion out of anything, even A.A., then I can be an open channel for God's expression.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 23/03


23 DE MARÇO
 E SEM MAIS RESERVAS

 Temos visto esta verdade demonstrada mais de uma vez: Uma vez alcoólico sempre alcoólico.... Se estamos dispostos a parar de beber, não podemos abrigar, de forma alguma, a esperança de que um dia seremos imunes ao álcool... Para ser gravemente afetado, não é necessário beber durante um longo período e nem tomar as quantidades que alguns de nós tomamos. Isto aplica-se especialmente às mulheres. As alcoólicas em potencial, muitas vezes, tornam-se alcoólicas verdadeiras e chegam a ser casos desesperados em pouco tempo.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 3, §§ 10 e 12

   Estas palavras estão sublinhadas no meu livro. São verdadeiras para homens e mulheres alcoólicas. Em muitas ocasiões tenho aberto o livro nesta página, e refletido sobre esta passagem. Preciso nunca enganar a mim mesma, lembrando meus diferentes modos de beber, ou acreditando que estou “curada”. Gosto de pensar que, se a sobriedade é um presente de Deus para mim, então minha vida sóbria é o meu presente para Deus. Espero que Deus esteja feliz com seu presente, como eu estou com o meu.
______

Meditação do dia:
Da tolerância e da humildade ganhamos a grandeza da aceitação até mesmo de críticas por vezes injustificadas, mas sempre aproveitadas para o aperfeiçoamento dos nossos atos e atitudes.” 
(Dr. José Nicoliello Viotti – ex-presidente da JUNAAB - Conferência de 1985)


Daily Reflection
MARCH 23

. . . AND NO MORE RESERVATIONS

We have seen the truth again and again: "Once an alcoholic, always an alcoholic.". . . If we are planning to stop drinking, there must be no reservation of any kind, nor any lurking notion that someday we will be immune to alcohol. . . . To be gravely affected, one does not necessarily have to drink a long time nor take the quantities some of us have. This is particularly true of women. Potential female alcoholics often turn into the real thing and are gone beyond recall in a few years.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 33

These words are underlined in my book. They are true for men and women alcoholics. On many occasions I've turned to this page and reflected on this passage. I need never fool myself by recalling my sometimes differing drinking patterns, or by believing I am "cured." I like to think that, if sobriety is God's gift to me, then my sober life is my gift to God. I hope God is as happy with His gift as I am with
mine.

domingo, 22 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 22/03


22 DE MARÇO
 SEM MAIS LUTA
 E assim desistiremos de lutar contra qualquer coisa ou pessoa, inclusive o álcool.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 6, § 41

   Quando A.A. me achou, pensei que estava ali para uma luta, e que A.A. me daria a força necessária para vencer o álcool. Vitorioso nesta luta, sabe-se lá que outras batalhas eu venceria. Precisaria ser forte, contudo. Todas as minhas experiências anteriores com a vida tinham provado isto. Hoje não tenho que lutar ou exercer minha vontade.
   Se tomo esses Doze Passos e deixo meu Poder Superior fazer o verdadeiro trabalho, meu problema de alcoolismo desaparece por si mesmo. Os problemas de minha vida também deixam de ser lutas. Apenas preciso perguntar se aceitação – ou mudança – se faz necessário. Não é minha vontade, mas a Sua, que precisa ser feita.
______
 
Meditação do dia:
Então veio A.A., onde aprendemos que as dificuldades eram na realidade um fato na vida de todos – fato esse que tinha que ser entendido e encarado. Surpreendentemente descobrimos que nossas dificuldades poderiam, com a graça de Deus, converter-se em bênçãos incalculáveis.”
(Na Opinião do Bill, p.110)


Daily Reflection
MARCH 22

NO MORE STRUGGLE. . .

And we have ceased fighting anything or anyone— even alcohol.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 84

When A.A. found me, I thought I was in for a struggle, and that A.A. might provide the strength I needed to beat alcohol. Victorious in that fight, who knows what other battles I could win. I would need to be strong, though. All my previous experience with life proved that. Today I do not have to struggle or exert my will. If I take those Twelve Steps and let my Higher Power do the real work, my alcohol problem disappears all by itself. My living problems also cease to be struggles. I just have to ask whether acceptance—or change—is required. It is not my will, but His, that needs doing.

sábado, 21 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 21/03


21 DE MARÇO
 BEM-ESTAR MATERIAL E ESPIRITUAL
 Medo... da insegurança financeira nos deixará.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 6, § 38

  Reduzir ou eliminar o medo, e ver melhorar as circunstâncias econômicas são duas coisas diferentes.  Quando eu era novo em A.A., eu confundia estas duas ideias. Pensava que o medo somente me deixaria quando começasse a ganhar dinheiro. Contudo, um dia em que estava meditando sobre minhas dificuldades financeiras, uma linha do Livro Grande me chamou a atenção: “Para nós, o bem-estar material sempre seguiu o espiritual, nunca na frente” (p. 131)*. De repente, entendi que esta promessa era uma garantia. Via que ela colocava as prioridades na ordem correta, que o progresso  espiritual diminuiria este medo terrível de ficar pobre, como diminuiu muitos outros medos.
  Hoje tento usar os talentos que Deus me deu para beneficiar os outros. Descobri que é a isto que os outros dão valor o tempo todo. Tento me lembrar que não trabalho mais para mim. Somente desfruto da riqueza que Deus criou, não sou o seu “proprietário”. O propósito de minha vida é muito mais claro quando apenas trabalho para ajudar, não para possuir.
  * (ou p. 143 ou p. 156).
 ______
Meditação do dia:
...a segurança de que podemos nos ajustar e pertencer ao esquema de Deus – essas são as satisfações de uma vida correta, que jamais poderiam ser substituídas por qualquer pompa ou cerimônia ou por qualquer quantidade de posses materiais”.
(Na Opinião do Bill, p.254)


Daily Reflection
MARCH 21

MATERIAL AND SPIRITUAL WELL-BEING

Fear . . . of economic insecurity will leave us.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 84

   Having fear reduced or eliminated and having economic circumstances improve, are two different things. When I was new in A.A., I had those two ideas confused. I thought fear would leave me only when I started making money. However, another line from the Big Book jumped off the page one day when I was chewing on my financial difficulties: "For us, material well-being always followed spiritual progress; it never preceded." (p. 127). I suddenly understood that this promise was a guarantee. I saw that it put priorities in the correct order, that spiritual progress would diminish that terrible fear of being destitute, just as it diminished many other fears.
   Today I try to use the talents God gave me to benefit others. I've found that is what others valued all along. I try to remember that I no longer work for myself. I only get the use of the wealth God created, I never have "owned" it. My life's purpose is much clearer when I just work to help, not to possess.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 20/03


20 DE MARÇO
 AMOR E TOLERÂNCIA

Nosso código é o amor e a tolerância pelos outros.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 6, § 40

    Descobri que preciso perdoar aos outros em todas as situações, a fim de manter um verdadeiro progresso espiritual. A importância vital do perdão pode não ter sido óbvia para mim à primeira vista, mas meus estudos me diziam que todo grande professor espiritual tinha insistido fortemente nisso.
   Devo perdoar as injúrias, não apenas por palavras, ou como formalidade, mas dentro do meu coração. Não faço isto por amor às outras pessoas, mas para o meu próprio bem. Ressentimento, raiva ou desejo de ver alguém punido, são coisas que apodrecem minha alma. Tais coisas me prendem a mais dificuldades. Elas me amarram a outros problemas que não têm nada a ver com meu problema original.
______
 
Meditação do dia:
Em muitos casos estamos na realidade lidando com companheiros sofredores, pessoas que tiveram suas desgraças aumentadas por nós. Se agora estamos a ponto de pedir perdão para nós, por que não poderíamos começar perdoando-os todos.”
(Na Opinião do Bill, p.151)


Daily Reflection
MARCH 20

LOVE AND TOLERANCE

Love and tolerance of others is our code.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 84

I have found that I have to forgive others in all situations to maintain any real spiritual progress. The vital importance of forgiving may not be obvious to me at first sight, but my studies tell me that every great spiritual teacher has insisted strongly upon it.
   I must forgive injuries, not just in words, or as a matter of form, but in my heart. I do this not for the other persons' sake, but for my own sake. Resentment, anger, or a desire to see someone punished, are things that rot my soul. Such things fasten my troubles to me with chains. They tie me to other problems that have nothing to do with my original problem.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 19/03


19 DE MARÇO
 ORAÇÃO: FUNCIONA

Acertou quem disse “os que zombam da oração são, quase sempre, aqueles que não a experimentaram devidamente.”
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 86 


     Tendo crescido num ambiente agnóstico, me senti um pouco tolo quando tentei rezar pela primeira vez. Sabia que havia um Poder Superior trabalhando em minha vida – como então estava permanecendo sóbrio? – porém, certamente não estava convencido de que ele/ela desejava ouvir minhas preces. Pessoas que tinham o que eu desejava diziam que a oração era uma parte importante na prática do programa, assim eu perseverei. Com um compromisso de rezar diariamente, fui surpreendido ao encontrar-me cada vez mais sereno e confortável com o meu lugar no mundo. Em outras palavras, a vida se tornou mais fácil e deixou de ser uma luta. Ainda não estou certo quem, ou o que, escuta minhas preces, mas nunca pararia de fazê-las, pela simples razão de que elas funcionam.
 ______
Meditação do dia:
Talvez uma das maiores recompensas da meditação e da oração seja a sensação de que passamos a fazer parte. Não mais vivemos num mundo completamente hostil. Não mais nos sentimos perdidos, amedrontados e inúteis.”
(Na Opinião do Bill, p.117)
 
 Daily Reflection
MARCH 19

PRAYER: IT WORKS

It has been well said that "almost the only scoffers at prayer are those who never tried it enough."

TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 97

Having grown up in an agnostic household, I felt somewhat foolish when I first tried praying. I knew there was a Higher Power working in my life—how else was I staying sober?—but I certainly wasn't convinced he/she/it wanted to hear my prayers. People who had what I wanted said prayer was an important part of practicing the program, so I persevered. With a commitment to daily prayer, I was amazed to find myself becoming more serene and comfortable with my place in the world. In other words, life became easier and less of a struggle. I'm still not sure who, or what, listens to my prayers, but I'd never stop saying them for the simple reason that they work.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 18/03


18 DE MARÇO
 A VERDADEIRA INDEPENDÊNCIA
 Quanto mais nos dispomos a depender de um Poder Superior, mais independentes nos tornamos.
 OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.31


  Começo a confiar em Deus com uma vontade pequena e Ele faz com que essa vontade cresça. Quanto mais boa vontade tenho, mais confiança ganho, e quanto mais crença ganho, mais boa vontade tenho. Minha dependência de Deus cresce na proporção em que cresce minha crença Nele. Antes de tornar-me disposto, dependia de mim mesmo para todas as minhas necessidades e estava restrito pela minha imperfeição. Pela minha boa vontade de depender do meu Poder Superior, a quem eu chamo de Deus, todas as minhas necessidades são satisfeitas por Aquele que me conhece melhor que eu mesmo; até mesmo aquelas necessidades que não posso perceber, bem como as que ainda não vieram. Somente Aquele que me conhece tão bem, pode levar-me a ser eu mesmo e me ajudar a preencher a necessidade de alguém que somente eu posso preencher. Nunca haverá alguém exatamente como eu. E isto é a verdadeira independência.
______
Meditação do dia:
Temos que saber que esses bens são dádivas de Deus, que em parte se combinaram com uma crescente boa vontade de nossa parte para descobrir e fazer Sua vontade para conosco.” 
 (Na Opinião do Bill, p.249)


Daily Reflection
MARCH 18

REAL INDEPENDENCE

The more we become willing to depend upon a Higher Power, the more independent we actually are.

TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 36

I start with a little willingness to trust God and He causes that willingness to grow. The more willingness I have, the more trust I gain, and the more trust I gain, the more willingness I have. My dependence on God grows as my trust in Him grows. Before I became willing, I depended on myself for all my needs and I was restricted by my incompleteness. Through my willingness to depend upon my Higher Power, whom I choose to call God, all my needs are provided for by Someone Who knows me better than I know myself—even the needs I may not realize, as well as the ones yet to come. Only Someone Who knows me that well could bring me to be myself and to help me fill the need in someone else that only I am meant to fill. There never will be another exactly like me. And that is real independence.

terça-feira, 17 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 17/03


17 DE MARÇO
 MANEIRAS MISTERIOSAS

...nas épocas de sofrimento e dor, quando a mão de Deus parecia ser pesada e até injusta, novas lições sobre a vida foram aprendidas, novas fontes de coragem foram descobertas e finalmente, de forma ineludível, chegou a convicção de que Deus, efetivamente, “age de maneira misteriosa na realização de Suas maravilhas”.
OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p.93


     Após perder minha carreira, família e saúde, não tinha ainda me convencido de que minha maneira de viver precisava ser vista de uma nova forma. A bebida e o uso de outras drogas estavam me matando, mas eu nunca tinha encontrado uma pessoa em recuperação ou um membro de A.A.
    Pensava que meu destino era morrer sozinho e que eu merecia isso. No auge do meu desespero, meu filho menor adoeceu gravemente com uma rara enfermidade. Os esforços dos médicos para ajudá-lo provaram ser inúteis. Redobrei meus esforços para bloquear meus sentimentos, porém, agora o álcool havia deixado de surtir efeito. Estava só olhando fixamente os olhos de Deus, suplicando Sua ajuda. Em alguns dias, devido a uma série de coincidências tive meu primeiro contato com A.A. e desde então tenho permanecido sóbrio. Meu filho sobreviveu e sua doença está em regressão. Todo o episódio me convenceu da minha impotência e da perda de controle da vida. Hoje meu filho e eu agradecemos a Deus por Sua intervenção.
______
 
Meditação do dia:
A ideia de que Deus dá às pessoas o que elas merecem, de que nossos desmandos causam nossas desgraças, de certa forma é uma solução tranquila e atraente para o problema, mas tem numerosas e sérias limitações. (...) Cria culpa mesmo onde não há razão para culpa. Faz as pessoas odiarem Deus, embora odiando-se também a si mesmos. E, mais perturbador que tudo, nem sequer se adapta aos fatos .”
(Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas – Harold S. Kushner – ed. Nobel, p.19)



Daily Reflection

MARCH 17
MYSTERIOUS WAYS

. . . out of every season of grief or suffering when the hand of God seemed heavy or even unjust, new lessons for living were learned, new resources of courage were uncovered, and that finally, inescapably, the conviction came that God does "move in a mysterious way His wonders to perform."
TWELVE STEPS AND TWELVE TRADITIONS, p. 105

After losing my career, family and health, I remained unconvinced that my way of life needed a second look. My drinking and other drug use were killing me, but I had never met a recovering person or an A.A. member. I thought I was destined to die alone and that I deserved it. At the peak of my despair, my infant son became critically ill with a rare disease. Doctors' efforts to help him proved useless. I redoubled my efforts to block my feelings, but now the alcohol had stopped working. I was left staring into God's eyes, begging for help. My introduction to A.A. came within days, through an odd series of coincidences, and I have remained sober ever since. My son lived and his disease is in remission. The entire episode convinced me of my powerlessness and the unmanageability of my life. Today my son and I thank God for His intervention.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Reflexões Diárias de A.A.: 16/03

16 DE MARÇO
 COMO NÓS O ENTENDEMOS
 Meu amigo, então, sugeriu o que me pareceu uma ideia original... Por que não escolhes teu próprio conceito de Deus?Esta pergunta atingiu-me fortemente. Derreteu a montanha de gelo intelectual, à sombra da qual eu havia vivido durante muitos anos. Enfim, ergueria o rosto para o sol! Era só me dispor a crer em um Poder Superior a mim. Para começar, aquilo bastava.
 ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, cap. 1, §§ 48 a 50
 
    Lembro-me das vezes que olhava para o céu e refletia sobre quem começou tudo isso, e como. Quando cheguei em A.A., um entendimento da dimensão espiritual tornou-se um auxiliar necessário para uma sobriedade estável. Após ler uma variedade de teorias, incluindo a científica, sobre uma grande explosão, optei para a simplicidade e supondo que o Deus do meu entendimento foi o Grande Poder que tornou a explosão possível. Com a vastidão do universo sob Seu comando, Ele seria, sem dúvida, capaz de guiar meu pensamento e ações se eu estivesse preparado para aceitar a Sua orientação. Mas não posso esperar ajuda, se virar as costas a esta ajuda e continuar à minha própria maneira. Tornei-me disposto a acreditar e já tenho 26 anos de sobriedade estável e satisfatória.
______
Meditação do dia:

A frase 'Deus na forma em que O concebemos' é talvez a expressão mais importante em todo o vocabulário de A.A. No âmbito dessas sete palavras significativas, podem ser incluídos todos os tipos e todas as intensidades da Fé, juntamente com a garantia positiva de que cada um de nós pode escolher sua própria Fé. Dificilmente menos valiosas para nós são aquelas expressões complementares – 'um Poder Superior' e 'um Poder Superior a nós mesmos'. Para todos aqueles que negam ou duvidam seriamente da existência de uma divindade, essas expressões levam a uma porta aberta para além da qual o incrédulo pode dar seu primeiro passo rumo a uma realidade até agora desconhecida para ele – o domínio da Fé.” (O Melhor de Bill, p.3)


Daily Reflection
MARCH 16

AS WE UNDERSTAND HIM

My friend suggested what then seemed a novel idea. . . ."Why don't you choose your own conception of God?" That statement hit me hard. It melted the icy intellectual mountain in whose shadow I had lived and shivered many years I stood in the sunlight at last. It was only a matter of being willing to believe in a Power greater than myself. Nothing more was required of me to make my beginning.

ALCOHOLICS ANONYMOUS, p. 12

I remember the times I looked up into the sky and reflected on who started it all, and how. When I came to A.A., an understanding of some description of the spiritual dimension became a necessary adjunct to a stable sobriety.
After reading a variety of versions, including the scientific, of a great explosion, I went for simplicity and made the God of my understanding the Great Power that made the explosion possible. With the vastness of the universe under His command, He would, no doubt, be able to guide my thinking and actions if I was prepared to accept His guidance. But I could not expect help if I turned my back on that help and went my own way. I became willing to believe and I have had 26 years of stable and satisfying sobriety.